Posts arquivados em Tag: planejamento

20 jan, 2020

Tenha controle da sua vida financeira

Feliz 2020! O ano das mudanças!

Todo início de ano nós prometemos mudar de alguma forma e as mais famosas são: cuidar mais da nossa saúde, da nossa casa, das nossas finanças… mas como cuidar das nossas finanças se não conseguimos manter o controle delas?

Pela minha experiência, as melhores formas de se manter o controle da nossa vida financeira são:

Usar um tipo de cartão por vez

Eu mesma gosto de controlar meu dinheiro passando as coisas no crédito, já que meu programa de pontos é muito bom! Mas isso significa que eu não gasto no débito — até porque a conta vai fechar e se eu gastar duas vezes o mesmo dinheiro terei que me endividar para pagar o cartão. Entretanto é preciso ter muito controle para deixar todas as suas contas no cartão de crédito; olhar o app do cartão diariamente é essencial.

Gastar apenas o que ganha

É clichê, porém é preciso enfatizar. Muitas vezes nós não consultamos o extrato bancário com medo dos números negativos que podem estar ali, mas se não fizermos o controle rigoroso do que entra e do que sai, nunca teremos um dinheirinho para gastar em casquinha do Mc no fim do mês. Por exemplo, se você ganha 2 mil reais líquido por mês e paga 800 reais de aluguel, já sabe que os 1200 restantes serão para custear todo o resto das contas (incluindo água, luz, iptu, mercado, feira etc).

Controlar cada bala que sair do orçamento!

Eu mesma tenho uma planilha de controle pessoal (alguém quer o download dela?) onde anoto cada bobeira que acabo gastando. Acho muito importante e até me dá mais forças para deixar de gastar de um lado para sobrar do outro no fim do mês; assim, consigo economizar e guardar na poupança para eventuais necessidades e até mesmo para um bem maior.

Garimpar

Ok, ninguém é de ferro e também temos as nossas necessidades! Eu adoro garimpar qualquer coisa que eu precise comprar. Se for pela internet, serão 10 mil abas abertas pesquisando, comparando preços. rs Roupas, por exemplo, só compro depois de muito pesquisar modelos, tamanhos, cores, mas principalmente preços! Eu sou a compradora chata que passa um dia inteiro andando para lá e para cá à procura do menor preço.

Utilizar cupons de desconto

Já contei um pouco certa vez aqui no blog sobre minha experiência com cupons de desconto, mas acho que nunca contei que via minhas amigas que moram fora do país comprando com cupons de desconto que recortavam de jornais e revistas e eu achava incrível. Quem dera um dia tivesse aqui no Brasil um veículo que nos possibilitasse os melhores cupons de desconto, não é mesmo?

Pois bem, esse dia chegou! Conheço o site CUPOM VÁLIDO há quase 2 anos e não posso deixar de recomendá-lo. Eu mesma já fiz algumas compras utilizando cupons que encontrei no site e posso dizer e reafirmar o quão bacana é. Inclusive, toda vez que preciso comprar algo on-line, vou direto ao site do Cupom Válido para ver se tem algum que me sirva. São diversos sites parceiros de diversos segmentos, como lojas de sapatos, cama&mesa&banho, viagens, cosméticos, livrarias e afins.

Se eu fosse você, não perdia a oportunidade e corria lá para ver se aquele site querido está na lista de cupons de desconto. Basta clicar no logo da loja que você deseja comprar e seguir a oferta que cabe no que você deseja adquirir. Pode abrir uma lightbox com o código para inserir no carrinho de compras ou uma nova página com redirecionamento já com o desconto.

Pode comparar: entre em outro navegador ou numa janela oculta (assim, reseta os cookies e não entra o desconto já aplicado). O preço muda de verdade!

(É tão bom estar de volta! Depois de quase 4 anos, eis aqui um novo layout — modesto, simples, minimalista (talvez?). As coisas ainda estão meio bagunçadas por conta dos códigos de css do antigo layout, mas se tiver algum problema, basta reportar pela página de contato. <3)

Se você curtiu as dicas ou tem alguma para acrescentar, não esqueça de compartilhar e comentar aqui embaixo!

02 mar, 2018

Dicas de como economizar dinheiro em 2018

Eu sempre fui muito controlada com meu dinheiro. Lembro direitinho de quando disse para meus pais que queria ir para Londres, no auge dos meus 14 anos, então eles sentaram comigo no meu quarto, me deram um cofrinho de lata e disseram algo como “Se você quiser viajar, você tem que aprender a economizar. Guarda seu dinheiro que, em breve, você consegue ir para lá”.

É claro, que eu sabia que meus pais não tinham condições de me mandar para um intercâmbio (meu sonho) ou, até mesmo, me dar o luxo de passear sozinha pela minha cidade favorita no mundo todo (se eu fosse viajar, com certeza eles teriam que ir junto e é caro bancar uma viagem dessa para uma pessoa, imagine três), então a partir daquele dia eu comecei a juntar dinheiro para realizar o meu maior sonho até então. Inclusive, acho que já devo ter mencionado essa história por aqui, mas, é real: eu me planejei durante 10 anos até conseguir ir e passar 15 dias, com meus próprios esforços.

Se não fosse por isso, talvez eu não tivesse dado tanto valor ao dinheiro e não teria conseguido conquistar tanta coisa que conquistei na vida. Não me leve a mal, não estou dizendo que ter dinheiro é a coisa mais importante do mundo e nem me privo do que quero fazer porque preciso guardar, mas é bom entender que o gasto consciente traz muitos benefícios, principalmente se você tem metas na vida.

Dada a história, trouxe aqui algumas dicas que podem te ajudar a não sair gastando desenfreadamente, economizar mais, e, assim conquistar seus objetivos que dependem de grana.

Ter uma poupança

Abri minha primeira poupança assim que consegui meu primeiro emprego. No caso, era um estágio em que eu ganhava o salário mínimo da época, com transporte incluso. Era pouquinho e eu ainda tinha que arcar com os custos da faculdade; além da mensalidade, eu cursei Publicidade e Propaganda e investi muito em cópias, livros, impressões, locação de estúdios, contratação de profissionais (sempre fui muito da filosofia “faça você mesma”, mas às vezes era humanamente impossível fazer tudo sozinha) e, por que não?, lanches.

Mesmo assim, todo mês, minha poupança “puxava” cem reais. Não era muito, mas era o que eu podia poupar, e eu nunca deixei de guardar essa grana, até que arrumei outro emprego (dessa vez CLT) e pude poupar cada vez mais no mês, apesar das contas sempre aumentarem.

“Faça você mesma”

Como mencionei acima, sempre fui dessa filosofia. Não é fácil e às vezes se torna humanamente impossível fazer todas as coisas sozinha, por questão de tempo, ou de prática, mas por muitas vezes nós temos preguiça de aprender algo novo mesmo.

Na faculdade, eu aprendi a fazer todo o tipo de coisa da minha profissão para não depender de ninguém. Apesar do meu grupo me dar suporte, a maioria das coisas eu fazia sozinha, como: revisão, edição de áudio e de vídeo, produção gráfica, design gráfico, redação, cálculos etc.

É claro que você não precisa ser a Mulher Maravilha e saber fazer tudo sozinha. Como a Amanda Palmer enfatiza por várias vezes em seu livro “A Arte de Pedir”, “é ok você pedir favores e retribuí-los quando possível (e não há nada de errado nisso)”, porém quanto mais coisas você souber fazer, mais você vai se aprimorar e menos vai depender daquele favorzinho daquela pessoa que não está querendo te ajudar.

Além de todas as coisas óbvias que você vai aprender dentro da sua profissão, o “faça você mesma” também se encaixa em coisas do dia-a-dia que, se você estiver com a grana curta, não vai poder contratar alguém para te auxiliar nessa parte, por exemplo: pintar uma parede, trocar uma lâmpada, trocar um interruptor de luz, lavar o banheiro, lavar roupa, furar uma parede, trocar um pneu (ok, nesse caso tem seguradoras que cobrem, mas vai que você não tem esse tipo de cobertura), fazer um bolo de aniversário, umas coxinhas.

É claro que você não vai diminuir ninguém que presta esses serviços ou vendem algo que você possivelmente pode fazer, mas se o dinheiro não está fácil e você não tem como contratar essas pessoas sem ter que ficar apertada o resto do mês ou do ano, acho que é uma boa aprender a fazer sozinha. Lembre-se de que a prática leva à perfeição. E os estudos também.

Fazer “bicos” ou freelas

Aqui, algumas coisas encaixam nos serviços que eu citei acima. Você aprendeu a fazer algo tão bem que se tornou referência entre seus amigos ou comunidade? Ou, você tem formação em uma determinada área, que te permite fazer freelances, então por que não começar a cobrar para prestar tais serviços? É uma ótima maneira de juntar dinheiro, sem precisar necessariamente tirar do salário. Eu só consegui guardar dinheiro entre 2014 e 2015, para, finalmente, ir para Londres, com ajuda dos meus freelas.

Comprar (e vender!) roupas e outras coisas
em brechós ou em lojas de desapego

Eu mesma já vendi vários livros e comprei coisas nesses sites. Inclusive, comprei berloques originais, com certificado da loja oficial, por 30% do preço de um novo. É real e tem gente que não acredita (eu mesma não acreditava), mas ajuda a economizar uma boa graninha.

Pedir amostras grátis

Às vezes, você só quer tentar um novo produto, mas tem receio de não gostar e ter que jogar fora todo o resto. Uma boa é pedir amostras grátis em supermercados, lojas de perfume, farmácias… Algumas marcas, inclusive, têm disponível um SAC, através do site, das redes sociais ou do telefone, em que o consumidor pode solicitar as pequenas amostras de seus produtos.

Participar do programa de pontos do cartão
ou programa de milhas aéreas

Esse item me ajudou pessoalmente a economizar uma graninha quando fui para o Rio Grande do Sul no ano passado. Eu tinha muitos pontos da viagem que fiz para Londres em 2015, e eles estavam prestes a vencer, por relapso meu. Foi então que tivemos a ideia de usar os pontos como desconto considerável em passagens da LATAM. Meu cartão de crédito também me disponibiliza pontos muito bons no programa da LATAM. Assim que eu pago a fatura do mês, eles são creditados, e, têm dois anos de prazo para utilização. Eu acho que vale muito a pena, ainda mais para quem gosta de viajar.

Muitos dos programas de pontos também valem para outros fins, não só compra de passagens áreas, mas desconto na contratação de seguros de automóveis e residenciais, alguns têm um catálogo gigantesco de produtos ou serviços (eletrodomésticos, eletroeletrônicos, entradas de teatro etc.) que podem ser trocados por pontos. Claro que, quanto mais você gasta, mais você recebe de volta em pontos, porém é alguma coisa, já que na maioria dos casos você só gasta e nunca tem retorno.

Usar cupons de desconto

A primeira vez que tive contato direto com um cupom de desconto foi em 2014, quando fui para Buenos Aires. Achei incrível que eu estava andando na rua e esticaram duas folhas de papel para mim. Eram duas cartelas IMENSAS de mini cupons de desconto destacáveis do Burger King e do McDonald’s. Lendo por cima, percebi que a economia era ótima e me perguntei por que aquilo não existia no Brasil. Acho que, um ano depois, começaram a distribuir esse tipo de coisa nas ruas daqui e até nas próprias lojas, mas não era muito um costume brasileiro — ou pelo menos eu não via esse hábito acontecer.

Confesso que no início eu não botava muita fé não (achava que era balela), porém com o tempo passei a utilizar os cupons de papel e até mesmo os virtuais. Não só em restaurantes fast food, mas também em lojas de roupa, de cosméticos, supermercados, livrarias, agências de viagens e afins.

Um site muito interessante chamado Cupom Válido me convidou para utilizar do serviço deles e contar para vocês. Eu usei na Saraiva, mas, pelo que vi, tem vários tipos de cupons de desconto, que nem eu mesma acreditei. É só pesquisar a loja on-line e utilizar. É sério e funciona mesmo. E quem é que não gosta de um desconto, não é mesmo?

Basta clicar no logo da loja que você deseja comprar e seguir a oferta que cabe no que você tem em mente. Talvez abra uma lightbox com o código para inserir no carrinho de compras ou uma nova página com redirecionamento já com o desconto. Pode comparar entrando em outro navegador ou numa janela oculta. O preço muda mesmo.

Se você curtiu as dicas, não esqueça de compartilhar e comentar aqui embaixo. Ah! Tem mais alguma dica para acrescentar?

Salve no pinterest!

10 nov, 2016

Dicas para acabar com a procrastinação e produzir mais

Muitas vezes sentimos dificuldade para nos concentrarmos e produzirmos de fato. Pensando nisso, trouxe algumas dicas que me ajudam bastante — e espero que sirvam para você também!


Planeje o dia seguinte

Planejar o dia seguinte pode parecer loucura, porém funciona de uma forma que quase ninguém tem ideia! É claro que às vezes deixamos para fazer isso no início do dia (o que é até aceitável), mas pense que o tempo e a disposição que você está gastando para planejar, poderiam ser muito mais úteis se já estivesse produzindo.

Anote ideias em papéis soltos

Sei que ninguém recomenda isso, mas você realmente precisa deixar de escrever no seu planejamento durante o processo de produção. Então, se as ideias surgirem, anote todas em papéis soltos, não esquecendo de guardá-los para mais tarde, quando for planejar o dia seguinte.

Largue o celular

As pessoas sempre me falaram isso, porém nunca levei muito a sério. Parece que não, mas só de olhar por cima as notificações que aparecem no celular, atrapalha (e muito) na sua concentração. Sugiro sempre deixar o aparelho longe (em outro cômodo, talvez) e em modo avião. Ok, às vezes você está esperando uma ligação importante, então simplesmente deixe o celular em modo silencioso ou tire todos os tipos de notificações enquanto está trabalhando. Ajuda bastante.

Deixe as redes sociais para o momento certo

Redes sociais podem ser “ralos de tempo” — é possível perder 10 minutos ou 2 horas só rolando a timeline do Facebook, sem ler ou ver nada edificante ou relevante. Então, para aproveitar melhor meu tempo, instalei um bloqueador de sites no meu Google Chrome e coloquei o redirecionador para o Outtamind. Essa foi a forma que encontrei para não esquecer que precisava terminar coisas do blog e não me distrair entrando em perfis ou páginas do Facebook, Instagram ou Twitter. Quando precisava compartilhar algum post nas páginas do blog, eu abria os sites em outro navegador e, assim que terminava, fechava a janela e voltava a fazer o que estava fazendo.

Cozy Home/Shutterstock

Cozy Home/Shutterstock

Trabalhe com prazos

Não consegue trabalhar livremente? Então estabeleça prazos, mesmo que os serviços sejam para daqui um ano! É importante que você mantenha sua mente voltada para isso, para que não atrase nenhuma etapa. Eu mesma escrevo no caderno a tarefa com data de entrega e dá certo.

Estabeleça metas e objetivos

Sabe aquele sonho que você quer muito realizar? Para que isso se concretize, você precisa passar por etapas, que podemos chamar de “metas”. Por exemplo, se você quer viajar para a Europa, já sabe que ter passaporte válido por seis meses é obrigatório, então pode colocar como meta “Tirar/Renovar passaporte”. Agora, se vai para os Estados Unidos, ter o passaporte é só uma das metas. Outra, tão importante quanto, é tirar ou renovar o visto.

Escolha uma trilha sonora. Ou nenhuma

Algumas pessoas trabalham melhor com música (eu!) e outras com o silêncio absoluto. Qualquer um que seja o seu caso, faça. Se você gosta de música, procure uma playlist que tenha a sua cara e que não vá atrapalhar o progresso do seu serviço. Se você gosta de silêncio, encontre o canto mais afastado de sua casa ou vá até um café, no qual não tenha muito barulho. É claro que, em ambos os casos, interrupções alheias são sempre prejudiciais à sua produtividade.

Utilize o método Pomodoro

Essa dica veio do meu primeiro chefe, quando eu já trabalhava com produção de conteúdo. Segundo a técnica, um Pomodoro significa trabalhar 25 minutos e descansar 5. Dois Pomodoros, trabalhar 50 e descansar 10, e assim por diante. Se acha que consegue trabalhar com tempos, a técnica pode ser muito útil — até mesmo para controlar o período de entrega de um projeto.

Livre-se das tarefas chatas e das urgências primeiro

Se você não gosta de responder e-mails ou de ter que lidar com burocracias, coloque essas tarefas como prioridades na lista. Assim, você fará com muito mais afinco — afinal, seu dia produtivo acabou de começar –, e terá a mente livre para fazer o que realmente gosta depois.

Relaxe

Nada melhor do que se sentir bem, não é mesmo? Minha vida é criar — seja para o blog ou para outro projeto pessoal –, mas se o bloqueio chega, acompanhado da tão temida ansiedade, eu respiro fundo, leio referências, coloco uma playlist e volto ao primeiro item da lista.

E, o mais importante: não desista

Nunca deixe de produzir, não importa como. Quando conseguimos “ticar” aquela lista enorme de coisas para fazer e virar a página, é muito mais satisfatório do que quando ficamos estagnados numa única tarefa — que, na maioria das vezes, se torna entediante por não conseguirmos finalizá-la.

quadrinho_1


E você, tem alguma dica de como manter o foco para ser produtivo? Conta aqui nos comentários! Adorarei saber sobre você também. :)

25 mar, 2016

Imigração, traslado, hospedagem, Tesco e “chip” de celular, em Londres

Olá, meus lindos e minhas lindas! Demorei, mas cheguei com mais um post sobre Londres. Nem venham reclamar! Posto sim e, se reclamarem, posto de novo! (Risos)

Baseando-me nas dúvidas que a maioria das pessoas tem quando vai viajar para fora, principalmente Londres, e me pergunta, reuni aqui algumas informações dos meus primeiros dias por lá. Peguem a pipoca e o suquinho, pois o post é bem completo.

Parlamento

Imigração

Graças a Deussssss nossa imigração foi muito tranquila, em comparação aos relatos que li pelas interwebs. O negócio é você juntar os documentos necessários numa pastinha – como Samanta e eu explicamos neste post aqui – e entregar tudo ao agente de imigração assim que ele disser “Good morning” ou “Hello”. Ah! Há uma ordem importante para entregar: passaporte e landing card primeiro, depois, conforme ele for perguntando (De onde você vem? Para onde você vai? Onde ficará hospedado? Tem emprego no Brasil? Quanto você trouxe de dinheiro? Já viajou para outros lugares?), você vai entregando o restante.

Contrariando o que me disseram e o que passei em Buenos Aires, o agente era fofo e super paciente com a turista de segunda viagem que vos fala. Ele fazia as perguntas detalhadas e de forma pausada, sem esquecer do “Você é muito organizada! Queria que todos fossem como você”.

Recebendo meu segundo país no passaporte, foi só alegria. Inclusive, encontrei uma moeda de um cent de dólar assim que passei das cabines! A viagem seria ou não seria ótima?

Carimbos Argentina e Inglaterra

Carimbos Argentina e Inglaterra

Acesso ao metrô do aeroporto de Heathrow (LHR)

Esta informação está corretíssima: há metrô dentro do aeroporto. Só quando voltei ao aeroporto que percebi a simplicidade que seria para me locomover ao hotel. A linha que passa pela estação é a mesma que passa onde fiquei hospedada — Piccadilly. O aeroporto fica na região 6, enquanto o hotel fica na 1, encarecendo, assim, a passagem. Porém pensa na facilidade que é pegar o metrô, sentado (mesmo com bagagem) e ir sentadinho até chegar ao hotel. Continue lendo

19 fev, 2016

Virginia – O que ver e fazer

Mais do que viajar para algum lugar e dar dicas, dessa vez estou morando na Virginia e vim aqui contar para vocês o que tem de especial nessa cidade que já te recebe com essa plaquinha linda.

Welcome to Virginia

Claro que ainda não conheci ninguém que escolheu a Virginia como destino para as férias, mas o estado fica muito perto de Washington D.C, o que torna mais fácil de você passar aqui para conhecer.

CLIMA

O clima na Virginia varia bastante durante o ano e  as quatro estações são bem intensas. Confesso que tenho sentido muito frio agora no inverno e já sei que o verão também é bem quente. Para ter uma ideia, no inverno as temperaturas variam de -14º a 15º e 10º a 35º no verão. Então talvez a melhor época para viajar seja primavera ou outono.

TURISMO 
  • Busch Gardens —  Sabe aquele parque de Tampa na Flórida que tem as montanhas russas mais incríveis? Então é o mesmo parque mas aqui na Virginia. USD 77
  • Virginia Beach — Praias, boardwalk, aquário, atividades aquáticas e ao ar livre.

Virginia Beach Boardwalk

  • Luray Cavers — Uma das várias cavernas que tem no estado e o meu próximo destino por aqui.  Olha que lugar incrível. Estou louca para conhecer. USD 26.

  • Great Falls Park — O lugar é incrível e a cachoeira gigante. No verão é ótimo porque você pode passar o dia no lugar, fazer piquenique, andar no meio da natureza e ver a cachoeira de diversos pontos diferentes.
    USD 10 do estacionamento.

Great Falls Park

  • Arlington National Cemetery — É o mais conhecido e tradicional cemitério militar dos Estados Unidos. Lá estão enterradas mais de 300 mil pessoas, participantes de cada uma das guerras do país, desde a revolução americana até a atual Guerra do Iraque. Alguns famosos estão enterrados lá como os astronautas da nave Challenger e o Presidente John Kennedy. Mas a atração mais popular é o Túmulo aos Soldados Desconhecidos onde o resto de três soldados não identificados na Primeira Guerra Mundial, Guerra da Coréia e Segunda Guerra Mundial são guardados por uma Guarda de Honra do exército. (Entrada gratuita). Ainda me parece estranho fazer cemitérios de pontos turísticos, mas depois de ter ido no Cemitério da Recoleta de Buenos Aires, AR, os cemitérios americanos parecem menos “assustadores” rs.

  • Estados Próximos — Como disse antes, a Virginia fica bem perto de Washington D.C e também de Maryland, então quem estiver de passagem pela costa leste dos Estados Unidos pode aproveitar para conhecer três estados de uma só vez.

Imagem 1: Lincoln Memorial – Washington D.C.
Imagem 2: National Harbor – Washington D.C.
Imagem 3 e 4: Annapolis, Maryland.

COMPRAS

A Virginia não tem muita diferença dos outros lugares dos Estados Unidos, mas isso não quer dizer que não seja um ótimo lugar para compras: Ross, TJ Maxx, Burlington, Marshalls e diversas outlets com marcas e preços incríveis.

A NOITE

A noite na Virginia é bem agitada e muito parecida com a noite de São Paulo e outras cidades grandes do Brasil. E isso é maravilhoso, milhares de opções para todos os tipos de pessoas: Bares e clubs para os baladeiros e restaurantes e lanchonetes, cinemas, teatros para os mais tranquilos.

Aos baladeiros: Clarendon, Alexandria e as milhares de opções em Washington D.C. na U Street, K Strett, Dupont Circle e Chinatown.

Aos tranquilos: Opções por toda parte. Old Alexandria e Georgetown são ótimas opções para um jantar de qualidade.

CURIOSIDADES

Você sabia que:

  • A América começou na Virginia. Em 1606 um grupo de ingleses atravessou o Atlântico para fundar a primeira colônia na América.
  • Alguns filmes foram gravados na Virginia. Os mais famosos são Argo, Capitão Phillips, O Chacal, Guerra dos mundos, Impacto Profundo e Transformers: Regenge of the Fallen.
  • A Sandra Bullock nasceu na Virginia.
  • Um dos cognomes da Virginia é Mother of Presidents porque coincidentemente oito presidentes norte-americanos nasceram aqui: George Washington, Thomar Jefferson, James Madison, James Monroe, William Henry Harrison, John Tyler, Zachary e Woodrow Wilson.
  • A história da Pocahontas é real e aconteceu no litoral da Virginia. Se você for ao Jamestown Discovery, um museu a céu aberto, da para ver onde os ingleses chegaram e encontraram Pocahontas e sua tribo.

A Virginia é muito grande é tem muita coisa pra fazer, então tudo depende da quantidade de dias que você tem para visitar e o que gosta. O site oficial do estado (esse aqui!) é a melhor opção para ir direto no que você quer ver/conhecer e pegar muitas informações.

Eu ainda não conheço tudo por aqui, mas estou me dividindo em conhecer outros estados e o lugar onde eu moro. Então as dicas também valem pra mim rs.

Fotos: Google e arquivo pessoal