Tercinha da resenha: BSB em São Paulo

16.06.2015

Olá, amiguinhos e amiguinhas! Arrastem os móveis da sala e venham dançar comigo!

No domingo (14) foi o último show da turnê In a World Like This Tour dos Backstreet Boys em São Paulo. Estive lá com minha irmã, que é fã há mais ou menos 18 anos e nunca tinha tido a oportunidade de ir a um show deles.

Quando abriu venda para a primeira noite (sexta, dia 12 de junho), tive um lapso por conta de estresse (na vida assim) e esqueci. Resultado, lembrei algumas horas depois e já tinha esgotado. Inconsolável eu, não me perdoaria se não abrisse outra noite e eu não conseguisse comprar de novo.

No dia em que abriu venda para a segunda noite (sábado, dia 13), fiquei loucamente atualizando a página da Tickets for Fun, tentando colocar qualquer setor no carrinho de compras. Consegui? Não, óbvio. Nem minha irmã da casa dela não conseguiu e em poucas horas todos, absolutamente todos os setores do Citibank Hall estavam esgotados para o sábado.

Desolada, fiquei na torcida para uma terceira noite. Difícil, porém não impossível. Não sei ao certo quanto tempo depois, recebi no meu querido e-mail uma notificação; algo mais ou menos assim:

VAI TER BSB DUAS VEZES EM SP SIM! E SE RECLAMAR, VAI TER TRÊS!

Ok, exagerei um pouco. Mas o ponto é que teve uma terceira noite para eu me revirar toda em frente ao computador e conseguir comprar de vez. Não lembro ao certo como foi. Quando dei por mim, recebi a confirmação de compra no meu e-mail e, hell yeah, eu ia ver Backstreet Boys com a minha irmã!

Vocês já sabem que a banda que mais me encanta neste mundo é Hanson, mas sempre há espaço no meu coração para novos amores… e antigos também, no caso de BSB. <3

Não tenho muito do que reclamar do show. Ficamos na plateia superior e foi tudo bem! Os fãs eram bem respeitosos, como pensei que seriam, pelo público mais velho.

Porém…

O que foi Nick Carter falando que podíamos nos descabelar e gritar como se tivéssemos 15 anos de idade? Ah, querido… Posso ter a idade que você quiser!

The Call é uma das minhas músicas favoritas deles. Lembro nitidamente de ficar em frente à tv esperando o Disk MTV passar o videoclipe.

Meus pontos fracos foram: Don’t Want You Back, Show Me the Meaning of Being Lonely, I’ll Never Break Your Heart, I Want It That Way, 10k Promises, Quit Playing Games, Never Gone, The One, Shape of My Heart, The One, Everybody e Larger Than Life.

Pra falar a verdade prôcês, o show inteiro foi meu ponto fraco, pois o que eu me esgoelei gritei, acho que minhas cordas vocais nunca tinham presenciado. Minha irmã idem, né. Nem sei como não ficamos sem voz no dia seguinte.

O álbum In a World Like This, homônimo à turnê, teve tanto destaque quanto o álbum Millennium – que apresentei à vocês no último playlist da vez -, segundo o setlist.fm. Foram seis músicas no total que, confesso, não conhecia muito bem. Pô, Spotify. Demorou!

A melhor parte de ser fã é fazer parte dessas coisas. O vídeo não está lá essas coisas, mas vale a pena conferir o mar de bexigas brancas no meio da música “The One”. ♥ Ah, e não fui eu que gravei, ok?

BSB em SP

O que tenho a ressaltar, é que eles são absolutamente performers incríveis. Do momento em que entram no palco ao momento que saem, não conseguem parar quietos! AJ arriscou dar uma bitoca numa fã que estava no palco (levando minha irmã à loucura), Brian fez a dança do robô, Howie D. mexeu a “bunda, bunda, bunda”, Nick balançou o esqueleto da forma mais graciosa que ele pôde dançar (ah…) e Kevin… Ah, Kevin… Sem palavras.

Não adianta. Muito difícil ir a um show e não gostar.


Siga nas redes sociais:

Palavras chave: , , ,

Francine C. Silva

gosta de compartilhar amor, de trazer felicidade quando a encontra e de dar abraços, se você precisar de um. É uma publicitária sonhadora, que transformou seu hobbie em profissão e hoje trabalha com o que mais gosta: escrever. Sempre carrega um bloco de notas e uma caneta na bolsa, vive organizando suas estantes de livros, tem um cachorro chamado Chuck Berry e é fã de musicais.



Deixe o seu comentário