Posts marcados na categoria Música

21 out, 2017

5 músicas que me fazem feliz

Estava eu aqui pensando que sempre que escuto certas músicas meu coração se aquece e a felicidade explode dentro de mim de um jeito que… nem sei dizer!

É claro que (como sempre) quero compartilhar com você um pouquinho de cada coisa que me faz feliz, então trouxe aqui as 5+ que se encaixam nessa lista. Se eu fosse você, botava o fone de ouvido e vinha curtir comigo. ❤️

5. Bohemian Rhapsody – Queen

Confesso que fiquei com um pouco de dúvida sobre qual posição essa música ficaria na lista, por ser uma das minhas músicas favoritas no mundo todo! Ela parece um espetáculo musical, com começo, meio e fim, e, apesar da história ser triste, ela me anima de um jeito como poucas músicas conseguem fazer.

4. Get the Girl Back – Hanson

Hanson é minha banda favorita e já falei dela aqui algumas vezes. Quando o álbum Anthem foi lançado, em 2013, a Franzinha aqui foi à loucura, porque, né, minha banda número 1 não lançava um álbum completo havia ANOS. A parte ruim é que a única música que virou single com videoclipe foi essa. A parte boa é que a única música que teve videoclipe foi essa, porque é uma das melhores deles.

“Get The Girl Back” é basicamente um amigo dando conselhos ao outro para não perder a garota amada, porque ela é demais para ficar esperando por ele. Haha Essa música me diverte muito!

3. King and Lionheart – Of Monsters and Men

Toda vez que engato numa leitura muito boa, procuro associar a uma trilha sonora. Não trilha sonora de filme, especificamente, mas algo que me envolva mais ainda ao livro, me ajudando a não me distrair – o que é muito fácil de acontecer.

Em 2016, enquanto eu lia “O Gigante Enterrado“, do Kazuo Ishiguro (autor premiado com o Nobel de Literatura no início desse mês), escutei muito os dois álbuns do Of Monsters and Men. Escutei tanto que dividi o livro em dois na minha cabeça: a primeira parte claramente é o primeiro álbum da banda, My Head Is an Animal; e a segunda, o álbum Beneath the Skin. (Sabe que, pensando agora, acho que essas foram duas das mais inteligentes associações de trilha sonora que meu cérebro já fez).

Bom, enquanto lia “O Gigante”, como é carinhosamente chamado por mim, muitas coisas aconteceram em minha vida. Coisas boas, aliás! Então, além de associar o livro a todos esses momentos maravilhosos, também penso nos álbuns de OMAM e não tenho como não sorrir.

“King and the Lionheart”, segundo o site Genius, conta a história de dois irmãos que se amam muito e lutam juntos contra seus próprios monstros. Então acho que pode ser considerada uma história feliz. :)

2. Someday Soon – KT Tunstall

KT Tunstall foi uma das artistas que influenciaram diretamente a minha adolescência, como já contei nesse post aqui, e o álbum “Drastic Fantastic” é um dos que eu mais escutei na vida. Ele foi lançado no dia 3 de setembro de 2007, três dias antes do meu aniversário, e, de verdade, foi praticamente um presente para a jovem Francine que estava completando 16 anos de idade.

Acho que da primeira vez que escutei Someday Soon eu associei a um sonho, que já durava uns anos, que era ir para Londres. Obviamente até hoje eu lembro de mim, com 16 anos, escutando essa música e sonhando acordada em como seria sentir a brisa londrina bagunçar meus cabelos, gelar meu nariz e me fazer abraçar o corpo de felicidade. Como você já sabe, eu realizei esse sonho há dois anos, e posso dizer que a sensação sempre retorna quando escuto essa música. Mas com um gostinho a mais: eu acreditei tanto que vivi esse sonho.


1. Put Your Records On – Corinne Bailey Rae

Já trouxe essa música uma vez, na playlist London, baby!, e é por isso mesmo que estou trazendo de volta. Escutar “Put Your Records On” me lembra dias felizes na Inglaterra, principalmente o dia indescritível em que visitei Windsor e Oxford. Essa música também me traz pensamentos e questões que vivi em 2015, que foi um ano muito importante na minha vida, por tantas coisas que passei e resolvi e não resolvi e resolvi. Por todo o poder que aprendi que tenho. Para você entender, o ano começou conturbado, mas terminou tão bem…

Essa, com certeza, é a música que mais me traz sorrisos sem noção, de orelha a orelha, enquanto trafego hoje pelo transporte público de São Paulo, lendo o livro da vez.

Bônus: Playlist completa!

Você achou que eu ia te deixar sem a playlist completa? Se deixasse, não seria eu. Haha Aqui embaixo você pode encontrar a playlist que fiz no Spotify, com mais cinco músicas que me fazem muito feliz. Então basta dar play e seguir o baile!

Curtiu? Então me conta aqui nos comentários quais são as músicas que mais te deixam feliz!

02 mar, 2017

Ser fã de Hanson é

Todo mundo que me conhece sabe que eu sou uma grande fã de Hanson (é, aquela banda dos três irmãos loiros, que cantavam “MMMBop” andando de patins e correndo em meio às flores), afinal, fanson que é fanson grita aos quatro ventos como é orgulhosa por ser fã deles há tanto tempo. Ainda mais por ter passado, junto com eles, pela transição entre a gravadora famosa e o selo próprio, e a pela transição entre a adolescência e a vida adulta

O que acho que nem todo mundo sabe é que, em 2017, a banda completa incríveis 25 anos de carreira e que, no próximo dia 6 de maio, seu primeiro álbum, Middle of Nowhere, faz aniversário de 20 anos.

Para quem não curte muito, é difícil imaginar o que é ser fã dos três loiros que conquistaram o Brasil em 1997. É sempre mais fácil chamar de maluca a amiguinha que mal pode ouvir falar da banda que já começa a contar toda sua trajetória como fã (e nós somos malucas mesmo, né, mores?) Agora, se você curte Hanson tanto quanto eu, aposto que vai se identificar muuuito com cada item da listinha que fiz especialmente para comemorar o aniversário de carreira desses meninos talentosos. Afinal, ser fã de Hanson é muito mais do que ouvir suas músicas; para mim, ser fã de Hanson é:


Middle of Nowhere

1. Saber o que significa fanson.

2. Escutar “mas eles ainda são uma banda?” pela 8298212987398721 vez, sempre que você menciona algo sobre os meninos.

3. Nunca conseguir decidir qual é o seu favorito, mesmo que esteja tentando fazer isso desde que se tornou fã.

4. Saber que pior do que não conseguir decidir qual é seu favorito é ficar mudando de opinião a toda hora – desde o final dos anos 1990. Atualmente, meu preferido é o Isaac, eu acho. Ou talvez não seja… prefiro não falar mais sobre isso.

5. Ter lido todas as fanfics disponíveis na internet, incluindo as interativas.

6. Mesmo assim não conseguir escolher seu favorito.

7. Ter feito testes de revistas e sites para saber com qual deles iria casar.

8. Mesmo assim querer casar com todos – e não conseguir escolher seu favorito.

9. Ter revistas antigas e não saber como se livrar delas, pois, além de ocuparem um espaço enorme no seu guarda-roupa, também ocupam grande parte de sua memória afetiva. Lembra quando você pendurava pôsteres na parede do quarto, e tinha que dividir o espaço com irmãos? Lembra também de quando você passava todos os dias na banca e o tiozinho já até sabia o que você queria? Você não guardou todo esse material por duas décadas à toa!

10. Saber o que era deixar o vídeo cassete programado porque ia passar algum show na TV e você tinha que gravar, afinal aquele VHS ia se juntar à coleção rara da banda que você guardava juntamente com as revistas e pôsteres e fitas k7 e CDs da revista Jovem Pan.

11. Sempre surtar com a divulgação do EPs anuais e sempre ter esperanças de que álbuns novos serão lançados e que turnês mundiais serão anunciadas, mesmo que você saiba de todos os passos que a banda dá graças a H.NET e o street team.

Underneath (2004)

12. Ficar aguardando ansiosamente o seu mês de aniversário só para aparecer na lista da newsletter do street team.

13. Surtar quando escuta alguma música da banda no rádio, na novela ou numa série, mesmo que esteja vendo pela enésima vez. Ou até mesmo no Uber, ou no Outback (e ainda agradecer via e-mail, tuíte ou pessoalmente por terem lembrado da sua banda do coração ao montarem a playlist do restaurante).

14. Saber o nome de (quase) todos os filhos deles, mesmo que fora de ordem.

15. Ter amizades de longa data por culpa da banda.

16. Saber que Hanson é mais que “MMMBop” e “Save Me”.

17. Surtar quando vê alguma fanson no metrô (que você identifica por conta das camisetas e ecobags), no trânsito (carros adesivados e “Penny & Me” em alto e bom som) e em qualquer lugar.

18. Usar “MMMBop” como metáfora para a vida, o universo e tudo mais.

19. Continuar colecionando lembranças físicas da banda: pulseiras e ingressos de shows, adesivos de meet & greets e pockets shows e carteirinhas da H.NET.

Não conhece o Hanson? Clica aqui para conhecer um pouco!

20. Sempre querer tirar férias com a banda e com fansons de todo o mundo num resort na Jamaica (Back to the Island).

21. Desejar participar das famosas “walks” e dos “Hanson Day” na sua região.

22. Ir aos shows em sua própria companhia, mas voltar para casa com vinte novos contatos no WhatsApp. Ou então conhecer alguma pessoa nova, em algum momento X da vida, descobrir que ela é fanson e de repente ter uma nova melhor amiga.

23. Assistir ao clipe de “Last Friday Night (T.G.I.F)“, da Katy Perry, só para ter o prazer de ver o Kenny G. Zac batendo cabelo, o Taylor dando pulinhos e o Isaac fazendo cara de sofrência. Tudo isso enquanto tocam seus respectivos instrumentos no milésimo de segundo em que aparecem.

24. Lembrar que um dia realmente achou que ia se casar com um deles, tanto que até usava o sobrenome HANSON em todas as redes sociais possíveis, incluindo o user da H.NET (pinkihanson, guilty).

25. Usar o sobrenome deles também nas atividades da escola, se você era mais rebelde.

26. Ser tão fã a ponto de ser conhecida na escola apenas como “Hanson”.

27. Ter vontade de comprar todos os itens da lojinha da H.NET, mesmo com o dólar nas alturas e sabendo que o frete sairá 3x mais caro que o produto que você quer comprar (5 of 5, um dia você ainda será meu). O mesmo vale para a assinatura do fã-clube.

28. Saber que um dia considerou ser designer, só pela destreza que adquiriu ao aprender a desenhar o logotipo da banda.

29. Lembrar que também considerou seguir a carreira musical e até aprendeu a tocar o instrumento principal do seu Hanson favorito no auge da adolescência. No meu caso, bateria.

30. Ficar empolgada para participar das surpresas que rolam nos shows aqui do Brasil. Tudo isso porque nós somos demais. ❤

31. Participar dos grupos no Facebook para discutir a carreira da banda.

32. Participar dos mesmos grupos apenas para surtar com outros fãs sobre como eles estão lindos na foto semanal que enviaram na newsletter da H.NET.

33. Saber todas as músicas do álbum natalino de cor.

34. Também saber todas as músicas do último EP de cor.

35. Ok, ser fã de Hanson é saber absolutamente todas as músicas deles.


Espero que você, fanson, tenha gostado desse post feito especialmente para nós. A saudade dos loiros reina há alguns anos, mas vamos nos juntar numa corrente de fé para que eles venham mesmo para o Brasil em 2018. E espero que você, que não é fã de Hanson, tenha entendido um pouco como funciona a nossa paixão (e que Hanson ainda é uma banda).

Acha que algum item poderia ser acrescentado à lista? Conta aqui nos comentários! <3

10 jan, 2017

Ed Sheeran de volta!

Depois das férias mais que merecidas de um ano de duração, o nosso ruivo musical favorito finalmente nos agraciou com material novo. Trata-se de dois singles, que foram lançados na madrugada da última sexta-feira: Castle on the HillShape of You.

Saiba mais sobre Ed Sheeran clicando aqui

Em 2015 tive o imenso prazer de conferir seu show no Espaço das Américas, aqui em São Paulo, o qual foi repleto de hits antigos de seu primeiro álbum, + (Plus, de 2011) e também de seu segundo álbum de trabalho, x (Multiply, de 2014). Já deu para perceber que nosso querido Ed é peculiar e altamente criativo ao intitular seus álbuns com símbolos matemáticos, né? Então, para seguir a tradição, o novo álbum que será lançado em breve terá o título ÷ (Divide)! Aliás, notou que as capas dos dois singles juntas formam o sinal de dividir? ;)

Gosta de Ed Sheeran? Conta aqui nos comentários!

24 dez, 2016

Playlist da vez: Feliz Natal!

Finalmente meu feriado favorito chegou! Toda véspera de Natal eu me empanturro de comidinhas gostosas, na companhia dos meus amados, escutando uma bela trilha sonora.

Trago uma playlist que fiz especialmente para esse dia tão maravilhoso, pensando em nós e no quanto gosto dessa data.

Tenha uma linda noite, repleta de coisas boas! Não só presentes e comidas, mas também momentos inesquecíveis com as pessoas que você mais gosta, nunca esquecendo o verdadeiro significado do Natal: amor e união.

Feliz Natal! 🎅🏽❤️

27 nov, 2016

Playlist para manter o foco!

Depois de trazer dicas para acabar com a procrastinação e produzir mais, algumas pessoas me perguntaram que tipo de música eu escuto para conseguir me focar na produção, em vez de me distrair trocando de playlist o tempo todo.

Pensando nisso, usei o Spotify para criar para nós (sim, nós!) a Playlist do foco! — com 30 faixas indie, rock, brasileiras e estrangeiras, que sempre me ajudam a manter a mente centrada quando tenho tarefas e deadlines a cumprir. Dá o play e bora produzir!

Rawpixel.com/Shutterstock

Rawpixel.com/Shutterstock

Leia também: Dicas para acabar com
a procrastinação e produzir mais

Gostou da playlist? Qual é sua trilha sonora para não perder o foco? Conta aqui nos comentários!