Posts arquivados em Tag: mundo editorial

14 mar, 2016

Eu fui: Praxe Literária em Campinas

praxe

Dia 05 de março, sábado, fui à Campinas para participar do Praxe Literária, evento organizado pelas blogueiras Letícia Iarossi, Adriana Mantovanelli e Helen Takahashi, que ajuda a divulgar novos nomes na literatura brasileira, não importando o gênero ou a classificação etária.

2016-03-05 14.32.24

Claro que fui prestigiar o queridíssimo, fofíssimo e maravilhoso Lucas Benetti, que está bombando com seu primeiro livro infantojuvenil, Andurá, e também a linda e diva Lari Azevedo, blogueira no Burn Book e que já está em seu segundo livro interativo, Minha vida dava uma série.

andura_lucas-benetti livro_serie02
Teve música, com um casal novinho que amava Nando Reis e Clarice Falcão,e que até cantaram Raul! Teve apresentação de cada autor, de forma independente, mostrando suas obras e contando um pouco do processo criativo — Lucas não poderia deixar de mencionar sua viagem à Escócia e o clube de ideias fictício, levando o público às gargalhadas.

2016-03-05 14.32.34
Lari AzevedoLucas Benetti
Foi um evento divertido e cheio de novidades, tanto por parte dos autores quanto por parte das editoras que apoiaram. Ele aconteceu no auditório da Livraria Leitura, no Shopping Dom Pedro e foi repleto de sorteios, concursos e questões — mais ou menos sanadas, enquanto o público perguntava e os autores respondiam.

É claro que eu tinha que ganhar algum sorteio...

É claro que eu tinha que ganhar algum sorteio…

Por fim, os autores autografaram seus livros, vendidos lá mesmo, e também o banner que tinha a fotinho de cada um.

2016-03-05 18.34.06

E você? Já foi a um evento literário?

14 dez, 2015

Design de livros – Parte 4 (Arte-finalização)

Olá, amiguinhos e amiguinhas!

Finalmente a quarta parte da série Design de livros está no ar. Antes de começarmos, vamos dar uma olhadinha nos tópicos:

  1. Capa (Briefing e direção de arte)
  2. Miolo (Criação de projeto gráfico)
  3. Emendas (Revisão)
  4. Arte-finalização
  5. Fechamento de arquivos
  6. Aprovação de plotter
  7. Livro pronto
  8. Feedback dos leitores e reimpressão
  9. Artes para divulgação

Na etapa de arte-finalização é preciso fazer uma avaliação minuciosa de todo tipo de arte que envolve o projeto.

Miolo
  • Folha de rosto;
  • Página de créditos;
    • Nomes das pessoas envolvidas no projeto;
    • Copyrights da obra;
    • Ficha catalográfica;
    • Assinatura da editora;
    • Créditos para algum veículo ou fotógrafo, em caso de fotos de capa e/ou miolo.
  • Estilos de parágrafo e hierarquias de texto;
  • Diagramação página a página;
  • Numeração de notas de rodapé;
  • Colófon;
  • Número de páginas – Se fecha em cadernos de 8, 16 ou 32 páginas. Por exemplo, 272 / 16 = 17 cadernos;
  • Imagens:
    • em 300 dpi, se houver – Sempre em .tiff ou .psd, nunca em .jpg e .png;
    • calibração de cores (4×4 ou 1×1 ou o padrão que tiver);
  • Sangria e corte em 5mm de cada lado.

272p

estilos

Capa
  • Tamanho da lombada em cm ou mm – Geralmente pedimos este cálculo para a gráfica, pois eles têm o papel e podem fazer cadernos com o número exato de páginas para medir;
  • Texto das orelhas, se houver, da quarta capa/contra e da frente;
  • Logo da editora, na sua exata aplicação, assim como descrito no manual de marca;
  • Código de barras ISBN – Eu utilizo este site para fazer: terryburton.co.uk/barcodewriter;
  • Imagens:
    • em 300 dpi, se houver – Sempre em .tiff ou .psd, nunca em .jpg e .png;
    • calibração de cores (4×4 ou 1×1 ou o padrão que tiver);
  • Alinhamento dos elementos – Por exemplo, nunca esquecer de alinhar os logos da contra, lombada e frente.

align

Finalização

Feito tudo isso, fechamos para enviar à gráfica e esperamos pelas provas de cor e heliográficas para aprovação. O que faremos no próximo passo!


Então é isso! Foi curtinho novamente, pois não há muito segredo, porém é preciso ter muita atenção, porque daqui o livro vai para a impressão, praticamente.

Digam aqui o que estão achando da série ou lá na página do Outtamind. ♥~ E não esqueçam de responder à pesquisa de público!

Beijinhos!

24 jul, 2015

Design de livros – Parte 3 (Emendas)

Olá, amiguinhos! Ontem fez três anos que eu trabalho com livros! Empolguei-me e finalmente coloquei a terceira parte da série Design de livros no ar. Antes de começarmos, vamos dar uma olhadinha nos tópicos:

  1. Capa (Briefing e direção de arte)
  2. Miolo (Criação de projeto gráfico)
  3. Emendas (Revisão)
  4. Arte-finalização
  5. Fechamento de arquivos
  6. Aprovação de plotter
  7. Livro pronto
  8. Feedback dos leitores e reimpressão
  9. Artes para divulgação

Na etapa das emendas, o livro já está devidamente diagramado e revisado. Agora, como a revisão de um livro funciona?

Emendas são as correções de texto que um revisor faz. Há alguns sinais de revisão para seguir e creio que sejam “universais” no mundo editorial. No geral, usamos exatamente estes sinais na editora em que eu trabalho e foi com esse link que eu aprendi a usar.

Sinais de revisão

Sinais de revisão

Aqui estão algumas imagens de como chega um livro em minhas mãos para “emendar”. Não sei se isso é um termo que usamos na editora em que eu trabalho ou se é geral (não encontrei no Pai Google). Acabei de encontrar um link que fala o termo. Ufa.

emendas_01 emendas_02 emendas_04
Nós, designers de livros, precisamos pegar estas emendas geralmente em papel (também em PDF) e passar para o InDesign. Lembra quando diagramamos o livro preparado? Agora precisamos corrigi-lo para mandar para a segunda, terceira e quarta revisões, dependendo da necessidade.

Feito isto, podemos deixar o miolo do livro em stand-by enquanto finalizamos os arquivos… Que ficará para o próximo passo: arte-finalização de capa e miolo

Então é isso! Dessa vez foi curtinho, porque não há muito segredo em emendas de livros, poréééém é a parte que mais demanda tempo, falando sobre o miolo de um livro, por conta dos detalhes e tudo mais.

Digam aqui o que estão achando da série ou lá na página do Outtamind. ♥~ E não esqueçam de responder à pesquisa de público!

Beijinhos!

09 maio, 2015

Design de livros – Parte 2 (Miolo)

Olá, meus queridos! Cá estou com a segunda parte da série Design de livros: o miolo. Vamos retomar os tópicos:

  1. Capa (Briefing e direção de arte)
  2. Miolo (Criação de projeto gráfico)
  3. Emendas (Revisão)
  4. Arte-finalização
  5. Fechamento de arquivos
  6. Aprovação de plotter
  7. Livro pronto
  8. Feedback dos leitores e reimpressão
  9. Artes para divulgação

Assim como a arte da capa, que falei no primeiro post, precisamos conhecer o público-alvo a fundo. Podem me perguntar Mas o que o miolo tem a ver com o resto do livro? Não é só onde tem o texto dele?

Na verdade, não.

O miolo é tão importante quanto a capa do livro e eles têm que conversar entre si. O ideal, na criação do projeto gráfico do miolo, é que a capa já esteja total ou previamente definida, assim podemos usar a identidade visual  criada para o livro (fontes e adornos).

♥ Estética

Darei mais um exemplo meu, a capa do Sublime, de Christina Lauren. Este livro foi o meu primeiro job do ano de 2015, já começando com o pé direito. Assim que voltamos das férias coletivas, sentei na minha cadeira e comecei a busca por imagens para a capa. Depois da criação da capa – que eu penso ser um dos meus melhores trabalhos, mesmo tendo passado quatro meses –, tinha que diagramar o miolo. Para o projeto gráfico, usei a mesma fonte e um pedaço do glifo (na abertura de capítulo e como separador) da capa. Abaixo vocês podem comprovar melhor:

Sublime, Christina Lauren Miolo de Sublime, Christina Lauren

♥ Técnica

Meu amigo lá da editora, que também é designer, costuma dizer que eu tenho vantagem por saber de desenvolvimento front-end (web) e, não só diagramação de livros mas, de design de livros e impressos também. Quem já mexeu com web, o básico de estilização, sabe que a forma correta de se mexer nos estilos é usando uma folha anexa à sua página, ou CSS.

Em livros, é a mesma coisa. Darei o exemplo ao lado.

Quando pegamos o texto preparado para diagramação, dependendo do livro, há sinalizações de parágrafo para: Continue lendo

10 abr, 2015

Design de livros – Parte 1 (Capa)

Oi, gente. Sei que não apareço aqui há uma semana, mas juro que estive trabalhando muito todos esses dias e também pensando em algo legal para vocês…

Muitas pessoas ficam intrigadas quando digo que sou designer de livros – ou bookdesigner. Perguntam-me qual é o serviço de uma pessoa que faz isso e, bom, não saberia explicar se não fosse por partes. Listarei todas aqui e farei um post para cada.

  1. Capa (Briefing e direção de arte)
  2. Miolo (Criação de projeto gráfico)
  3. Emendas (Revisão)
  4. Arte-finalização
  5. Fechamento de arquivos
  6. Aprovação de plotter
  7. Livro pronto
  8. Feedback dos leitores e reimpressão
  9. Artes para divulgação
♥ O briefing

Mas que raios é isso? De comer? Ah, quem dera (estou com fome).

Brief (eng) = Dossiê. O briefing ou brífingue é um conjunto de informações ou uma coleta de dados passados em uma reunião para o desenvolvimento de um trabalho ou documento. Esse é um instrumento muito utilizado em Administração, Relações Públicas, Design e na Publicidade. O briefing deve produzir um roteiro de ação para criar a solução que o cliente procura, ou seja, é como mapear o problema e, com as pistas identificadas, ter ideias para criar soluções. (Leia mais em: Wikipedia)

Para quem trabalha com ou estuda Comunicação, essa palavra é familiar. Pessoalmente classifico o briefing como a alma do job (lá vem outra palavra publicitária). Sem um bom briefing, não tem como dar prosseguimento ao job. É séria a coisa.

shutterstock.com

Pense comigo:

Você recebe uma proposta de job de um cliente, na qual ele descreve seu produto (um xampu) feito para cabelos oleosos. Logo, você fará uma campanha inteira voltada ao público que tem seus lindos cabelos oleosos, e não secos. Qual a diferença de um produto para um público e para o outro?
Agora, pense se o produto para qual você está trabalhando está descrito errado no briefing. Uma campanha inteira jogada no lixo, não? Briefing errado atinge o público errado. E, também, de acordo com o Artigo 37, da Lei 8078/90, do Código de Defesa do Consumidor, propaganda enganosa é crime.

Agora precisamos separar o briefing em partes: Continue lendo